Maratona Oscar 2020

fonte: pixabay

Oi gente! Eu achei que esse post não iria sair, mas me animei e resolvi deixar registrado mais um ano de maratona Oscar. Apesar de, inicialmente, ter em mente não trazer nenhum post referente à premiação, eu iria maratonar como eu sempre faço, mas dessa vez ia assistir somente o que eu estivesse com vontade.

Infelizmente não estou no clima para ver filmes, então, a maratona esse ano não está tão empolgante, apesar de já ter visto vários filmes indicados. Aliás, para quem não sabe quais foram os indicados neste ano, o Omelete separou tudo bonitinho. E estou marcando os filmes vistos por meio da planilha disponibilizada pelo 365 filmes.

A cerimônia acontece dia 9 de fevereiro, e estou na torcida para alguns nomes já. Na categoria Documentário, estou na torcida por Democracia em Vertigem, uma por ser brasileiro, e outra, porque eu gostei do documentário. Para melhor ator, minha torcida é para o Joaquin Phoenix, que interpretou o Coringa (falei aqui no blog). Para melhor atriz, ainda não me decidi (falta alguns filmes).

E para a categoria principal, Melhor Filme, faltam três da lista (Ford vs. Ferrari, Adoráveis Mulheres e 1917). Mas confesso que já estou entre: Parasita, Coringa e 1917. Mas como eu disse, falta esse último. Espero que de para assistir antes da premiação (hehe).

É isso aí. Vocês estão maratonando o Oscar 2020? Beijos!

Organização financeira + Planner

 fonte: pixabay

Oi gente! Começo de ano é sempre igual, a gente inicia estabelecendo metas, inicia projetos novos e também, procura outro método sobre organização financeira. Eu já tentei um método chamado "desafio das 52 semanas", mas não foi muito eficiente. Este ano, resolvi tentar de uma forma em que colocarei no papel tudo o que entra e o que sai.

Ao analisar meus gastos do ano passado, me assustei com a quantidade de dinheiro "jogado fora". Foram gastos que poderiam ter sido muito bem evitados e poupados para outros fins ou até mesmo, ter investido neles de outra forma.

Após o choque do gasto geral de 2019, neste ano eu resolvi ter uma vida financeira saudável, e para isso eu preciso de planejamento. Com o planejamento é possível ter uma visão clara de quais são os gastos a toa, os gastos fixos, o que entra e, por fim, ter no total, o quanto permanece.

Eu desenvolvi um arquivo bem simples apontando esses tópicos mencionados acima, para vocês (quem quiser) imprimirem e preencherem nos espaços o que vocês estão gastando e por fim... A educação financeira é uma questão que na minha opinião deveria ser mais trabalhada, e isso já desde na escola.

Eu recomendo o livro da Nathalia Arcuri (resenha aqui), assim como seus vídeos, para ter mais conhecimento sobre o assunto e claro, muito além das dicas dela. É importante se informar mais sobre organização financeira para não patinarmos na mesma, achando que nunca teremos dinheiro. 


Espero que tenham gostado, bom proveito, beijos e até a próxima!

Água para Elefantes | Sara Gruen

 

Oi gente! O primeiro post do ano vai ser uma breve resenha do último livro lido em 2019. Fiquei feliz com as minhas leituras do ano passado. Ao todo foram vinte livros e é um número bom se comparado ao ano retrasado. Mas enfim, espero que 2020 seja um ano de muitas leituras e espero cumprir minhas metas (que estão no meu perfil do Skoob).
https://3.bp.blogspot.com/-OiF0VcSHPpo/WgzLTT7qEsI/AAAAAAAALqk/1tjM37LbCVQ8SMmFHJIUoR4kP9MAiGv6gCLcBGAs/s640/bolinhas.png
A resenha de hoje é do livro Água para Elefantes da autora Sara Gruen. E já começo dizendo que minha nota para este livro foi três. Talvez não foi a escolha mais feliz para fechar o ciclo de leituras de 2019. A história em si é boa, apesar de vários buracos, mas infelizmente não foi uma leitura cativante e confesso que esperava mais, devido a todo o sucesso que foi na época.

Água para Elefantes tem capítulos intercalados sobre a vida de Jacob Jankowski, desde seus momentos até chegar ao circo e também, quando ele tem entre 90 ou 93 anos e vive em uma casa de repouso. O personagem guardou por quase setenta anos um segredo, no qual nunca revelou nem mesmo a sua amada.


A história de Jacob começa quando ele tem 23 anos, estudante de veterinária e prestes a realizar os exames finais. No entanto, um acidente trágico muda o rumo de sua vida. De repente, ele se vê órfão, sem dinheiro e sem ter para onde ir. Deixa os exames para trás e quando se dá conta, Jacob está em um trem - o Esquadrão Voador do circo Irmãos Benzini, o Maior Espetáculo da Terra.

Jacob é admitido para cuidar dos animais. A partir de sua chegada no trem que o drama se desenrola. Ele faz amigos, sofre nas mãos do Tio Al, do chefe do setor de animais, August, e se apaixona por Marlena, a estrela do número de cavalos e esposa de August. Com todos esses personagens apresentados no livro, a história vai indo de forma lenta e cansativa, até que chega a Rosie, a elefante pela qual Jacob diz amar quase da mesma forma que ama Marlena.
https://3.bp.blogspot.com/-OiF0VcSHPpo/WgzLTT7qEsI/AAAAAAAALqk/1tjM37LbCVQ8SMmFHJIUoR4kP9MAiGv6gCLcBGAs/s640/bolinhas.png
A história segue todo esse drama, tem vários acontecimentos ao longo, mas começa a ficar bom mesmo quando está chegando nas páginas finais. E de verdade, o ápice é quando há o estouro. De resto, eu não curti muito o livro, uma pelo fato de ser uma história arrastada, outra porque eu não entendi o nome do livro com a história que ele entrega, e outra, há várias lacunas na história que poderiam ter sido exploradas melhor.

Páginas: 272 | Editora: Arqueiro | Nota: ♥♥♥

E aí, já leram Água para Elefantes? O que acharam? Beijos!

4 de 8: nem acredito que já foi metade

Notebook, Typing, Coffee, Computer, Hands, Laptop

Oi gente! Ao longo desses dois anos de faculdade vim compartilhando com vocês meus semestres, desde o primeiro, depois o segundo semestre, quando falei que estava quase na metade e agora eu já estou de fato, na metade do curso de Jornalismo.

O que eu fiz nesse semestre?

O quarto semestre foi um gostinho do que de fato virá no terceiro ano, especialmente na matéria de Telejornalismo. O segundo ano foi muita prática de rádio, uma área que eu gosto bastante e o curso possibilitou aumentar meu amor por ela. Passei por três funções, pela pauteira, editora e repórter. Outro gostinho que experimentei foi com a disciplina de metodologia da pesquisa em comunicação, em que vi uns indícios do TCC (falei um pouco disso aqui). 

O que vem por aí...

No terceiro ano vou praticar muito mais o telejornalismo. É uma área que eu não tenho muita afeição. Nunca morri de amores por tv, mas quem se com a prática essa opinião não muda. Eu só sei que por experiência dos meus veteranos, essa disciplina vai dar muita dor de cabeça! Ano que vem produziremos também um artigo a partir do pré-projeto que tivemos que desenvolver esse ano. Vai ser um ano e tanto!

Outro elemento que será o auge do terceiro ano de jornalismo será o início do estágio. O famoso. Eu espero (e vou!) conseguir na área de rádio da própria universidade, mas se começar por outras brandas, vou estar feliz também. O que já posso adiantar é que a ideia de estagiar me deixa nervosa.

Mas no geral, eu gostei das disciplinas que já tive. Claro, nada é perfeito e acredito que muita coisa poderia ser melhor. Poderíamos praticar muito mais e trazer os novos meios de comunicação para o curso. Eu acho que o jornalismo se adapta a cada dia e o curso poderia adaptar-se junto.

Beijos e até a próxima!

O tal do clima natalino

Foto: Andrea | Toffee Drops
Oi gente! Eu resolvi escrever esse post para expressar um pouco do sentimento natalino deste ano. Procurei nos arquivos do blog um post em que eu havia falado um pouco sobre como esta época do ano sempre me deixa nostálgica e animada. Eu queria reler aquele post para despertar um sentimento adormecido em mim.

Este ano está diferente. O clima natalino que sempre costumava chegar nessa época, não chegou. E eu nunca imaginei que isso fosse acontecer, porque veja bem, eu adoro o Natal. Eu amo quando chega esse mês e com ele a sensação de leveza. Mas hoje é dia quinze e está tudo diferente.

Não sei se é porque eu cresci e talvez com a chegada de dezembro, a sensação não teve o mesmo impacto. Sigo amando o fato de ser Natal, mas não consigo senti-lo este ano. Não montamos a árvore e estamos cogitando seriamente em não fazê-lo. Não sei explicar além disso. Sei apenas que o tal do clima natalino não apareceu este ano.

Quem sabe ele ainda chegue. Talvez de última hora. Quem sabe. Mas por enquanto estou aqui refletindo o meu ano de dois mil e dezenove e pensando que as coisas passaram tão rápido e talvez não caiu a ficha que já é metade desse mês que sempre gostei. E sigo gostando.

Eu não queria deixar de falar sobre o natal no blog. Então resolvi parar hoje para escrever de coração aberto que eu amo essa época, mas o sentimento ainda está adormecido e espero de verdade que ele logo acorde.

Beijos e até a próxima!